Dicas de saúde para expatriados

Durante o processo de mudança de residência para outro país, várias decisões e adaptações devem ser feitas, principalmente quando há crianças na família.

Neste momento, para evitar aborrecimentos e problemas, relacionamos algumas dicas úteis sobre os cuidados com a saúde dos expatriados ao virem para o Brasil.

Devemos lembrar que, muito provavelmente, haverá grandes diferenças entre o país de origem e o Brasil, em relação a clima, cultura e gastronomia. Por isso, é super importante conhecer o seu destino e os hábitos e características do local.

Seguem algumas orientações gerais da Home Ped, equipe especializada de pediatras, para quem está chegando ao Brasil para uma estadia mais longa:

  1. Busque indicações de médicos assistentes, ou seja, os adultos precisam de um clínico geral, as mulheres, de um ginecologista e as crianças, de um pediatra para um acompanhamento regular. É fundamental ter um médico para consultas de rotina e para orientações em caso de urgências. Procure saber referências dos profissionais e, preferencialmente, se falam seu idioma, já que facilita bastante a comunicação num momento de doença ou dúvidas específicas sobre sua saúde.
  2.  No caso de adultos com doenças crônicas e crianças, traga um laudo médico com um histórico contendo as informações mais importantes, como dados sobre a doença, tipo sanguíneo, alergias, internações e cirurgias prévias.
  3. Tenha um seguro de saúde! Não devemos contar, exclusivamente, com os postos e hospitais do SUS, devido à precariedade de boa parte deles. Verifique se o seu convênio oferece cobertura nacional e anote os locais de atendimento de urgência e laboratórios para facilitar, caso precise utilizá-los.
  4. Vacine-se! Há vacinas no Programa Nacional de Imunizações do Brasil que não estão incluídas nos calendários de outros países, como BCG, febre amarela e meningocócica, por exemplo. É essencial trazer seu cartão vacinal devidamente preenchido com datas e doses das vacinas.
  5. Consuma alimentos saudáveis, evitando os preparados em locais com higiene duvidosa.
  6. Use repelente contra insetos e outras medidas físicas de proteção, como telas nas portas e janelas de casa, para evitar a picada dos mosquitos. Em grande parte do país, há casos de febre amarela, dengue, Zika e Chikungunya, doenças transmitidas por insetos e que podem evoluir de forma bastante grave.
  7. Higienize com frequência as suas mãos, lavando com sabonete ou utilizando álcool em gel. Essa medida simples pode ajudar a prevenir doenças como gripe e gastroenterite.
  8. Mantenha-se hidratado! Na maior parte do Brasil e durante quase todo o ano, as temperaturas são altas e o calor pode levar à desidratação, principalmente entre crianças e idosos. Considere o uso de chapéu, boné e óculos escuros, além do protetor solar, em dias ensolarados, especialmente. Evite a exposição excessiva ao sol em horários de maior radiação (entre 10:00 e 15:00) no verão.
  9. Lembre-se de que a água da torneira e dos chuveiros não é própria para consumo, diferentemente de muitos países, em especial da Europa.
  10. Muitos expatriados curtem fazer trilhas e passeios nas florestas. Nesses locais, não se deve alimentar animais selvagens nem chegar muito próximo a eles, pois podem transmitir doenças como a raiva.
  11. Anote telefones úteis como SAMU (192), ANVISA (0800 642 9782), Disque-Intoxicação 24 horas (0800 722 6001).

 

Texto produzido pela equipe da Home Ped.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *